História do Município de Ibirataia

Localizada no Litoral sul da Bahia, 335 km da Capital Salvador, Ibirataia possui uma população atual de 18.943 habitantes segundo IBGE, numa área de 318,129km² da Mata Atlântica. Ibirataia por pertencer ao litoral Sul, seus habitantes vieram principalmente da costa do Dendê, atravessando a mata com suas tropas para trocar suas mercadorias por uma planta medicinal muito utilizada na época a Ipeca, por isso muitos a chamava de Ipecacuanha, ( os nativos chamava Papaconha), logo após, a área tornou-se uma parada obrigatória destes tropeiros, tornou-se Vila de Tesourinhas, por causa da localidade e a chegada de imigrantes Italianos, Árabes, Libaneses e outros, formaram assim o Distrito de Tesouras que era administrada pela cidade de Rio Novo ( hoje Ipiaú), em 1953 começaram os movimentos de Emancipação Política alcançada Pela Lei Estadual nº 1347, de10 de novembro de 1960.

O primeiro Prefeito foi o Dr. Aristóteles Dias da Fonseca seguidos pelos seus sucessores:  José Passos Prazeres, Ilton Lopes Leal,  Rômulo Têotonio Calheira, Florisval Abdon Fair, Agenor Gonçalves Meira, Abinael Abdon Fair, Cesario Calheira Neto, José Antonio da Costa, Julio Leal, Jorge Fair, Marcos Aurélio e Ana Cleia Leal, atual prefeita.

Ibirataia foi denominada pelo administrador das áreas devolutas tendo como base o nome da tribo indígena que habitava a região, por isso Ibirataia é uma palavra de origem Tupi que pode ser interpretada como Planta que arde, ou madeira ardente por ter na região bastante madeira denominada Pau D’arco (ou pau d’alho, como os nativos chamava). Por possuir uma terra fértil, rica em húmus, esta foi uma região onde a cultura predominante era o cacau e assim era formada por grandes fazendas de cacau e os proprietários que se destacavam em tamanho de área produzida e quantidade do produto, eram os que detinham o poder político e econômico da região. No final da década de 80 a produção do cacau foi decrescendo com a chegada da vassoura de bruxa, prejuízos incalculáveis levaram a região a buscar alternativas e assim houve uma estabilidade econômica na área da produção de polpas de frutas, artesanatos de cerâmica, empreendimentos comerciais. No momento atual a preocupação da administração é gerar empregos para população jovem, buscando alternativas para que a situação econômica se estabilize e que não haja migração dos jovens e adultos que precisam suster suas famílias.